Construtoras, projetistas e fabricantes discutem desenvolvimento setorial de biblioteca BIM

Construtoras, projetistas e fabricantes discutem desenvolvimento setorial de biblioteca BIM

Desenvolver uma biblioteca virtual genérica de elementos construtivos capaz de atender às necessidades de construtores e projetistas que trabalham com o Bulding Information Modeling (BIM). Esse foi o principal objetivo traçado em reunião, no último dia 13, entre representantes da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), da Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais (Abrasip) e do SindusCon-SP, na sede do sindicato em São Paulo. O escopo do trabalho setorial estará focado, inicialmente, no segmento de instalações elétricas e hidráulicas.


Entenda-se por biblioteca genérica um conjunto de elementos construtivos dissociados das marcas dos fabricantes. “No desenvolvimento do projeto, durante a modelagem, não há necessidade de trabalharmos com o elemento específico de cada fornecedor”, afirmou Paulo Sanchez, vice-presidente de Tecnologia e Qualidade do SindusCon-SP. “Isso só será necessário no momento da compra, que é posterior.”


Biblioteca em conformidade

Na visão do presidente da Abramat, Walter Cover, o desenvolvimento da biblioteca genérica é um primeiro passo obrigatório, que vai resultar de um trabalho setorial, desvinculado de questões mercadológicas. “Um segundo passo, aí sim, será dado por cada um dos fabricantes, que vão desenvolver os elementos customizados de suas marcas”, afirmou Cover. Um quesito fundamental, unânime entre todos os presentes, é a consonância da biblioteca genérica com as normas técnicas relacionadas.


O próximo passo no cronograma do grupo de trabalho será uma apresentação dos projetistas Paulo Rewald e Humberto Farina, da Abrasip, para os representantes da Abramat do segmento de instalações elétricas e hidráulicas. Eles vão detalhar tecnicamente um trabalho desenvolvido, no âmbito da associação, para a criação de uma biblioteca genérica. A ideia é que os fabricantes avaliem a iniciativa e possam contribuir para a continuidade e conclusão do projeto. “Dependemos de dados e informações das empresas para prosseguir”, concluiu Farina.



Autor: SindusCon-SP, em 17/04/2017.

Imagem da Internet.