Como você gerencia conflitos de projetos?

Como você gerencia conflitos de projetos?

É um desafio tão antigo quanto o gerenciamento do projeto. Como você lida com conflitos dentro de sua organização? 

Bem, a Liquid Planner sugere que existem 11 maneiras para gerenciar conflitos. Vamos dar uma olhada em algumas das melhores sugestões. É uma boa mistura do óbvio e do inovador. Óbvio é uma palavra dura? Não é, especialmente quando você considera que um dos especialistas de resolução de conflitos citado é Sun Tzu, que escreveu A Arte da Guerra e morreu por volta em 496 AC.

Bruce Harpham, que escreve sobre a liderança em gerenciamento de projetos para gerentes de projetos de TI no site Project Management Hacks, fez referência a Sun Tzu no blog da Liquid Planner quando disse que a Retirada, ou evitar o confronto, é um passo viável em gerenciamento de projetos. Mas não para evitar um problema. Pelo contrário, por vezes, um passo para trás é necessário para se preparar melhor para enfrentar uma situação.

O oposto do uso do poder seria o Apaziguamento, sugere Harpham. Ele escreve: “Assim como o poder, o apaziguamento pode ser utilizado como uma técnica de gestão de conflitos. Apaziguamento é mais eficaz em situações quando fazer uma concessão é pouco dispendioso para você, mas é benéfico para a outra pessoa ou equipe“.

A Resolução também pode vir através de exercer o poder, mas não abuse. “Esta abordagem é mais bem usada com moderação, ou em situações em que existem riscos ou perigos muito elevados, como a segurança dos funcionários“, escreve Harpham.

Conflitos também podem ser resolvidos Respirando Fundo. “Tente não cortar as pessoas antes que elas sejam capazes de expressar seus sentimentos. Acalme-se!“, diz Harpham. Em outras palavras, tome tempo e reconheça os sentimentos das pessoas. Isso pode parecer muito sentimental se você gosta da abordagem de poder, mas pode ser eficaz.

Outra habilidade básica é Escutar. “Ser um ouvinte atento é semelhante ao reconhecimento. Ao reunir mais informações através da escuta, você estará mais bem equipado para resolver os conflitos“, de acordo com Harpham.

Seu último conselho que queremos compartilhar é este: Desistir. OK, isso não é exatamente o que ele tem a dizer, mas Harpham sugere chamar um mediador quando tudo mais falhar. “Alguns conflitos são simplesmente esmagadores. Se o conflito envolve um grande contrato que não foi cumprido, você pode ter que recorrer à ajuda externa“, sugere.

Michael Stanleigh, escrevendo para um site Canadense, reforça a opinião de Harpham de que o conflito não é necessariamente uma coisa ruim. Stanleigh diz: “O conflito de equipes é um desafio para os líderes de projeto, mas não é necessariamente ruim. O conflito pode levar a novas ideias e abordagens e facilitar o surgimento de questões importantes entre os membros da equipe se for bem gerenciado“.

Ele acrescenta: “É muito importante para os membros da equipe que recebam treinamento em comunicação e habilidades interpessoais”. Aqui estão algumas recomendações para os líderes de projeto e membros da equipe do projeto: 

    1. Realizar reuniões mais frequentes e sessões de avaliação de status para aumentar a comunicação entre as funções e reduzir equívocos de metas e prioridades do projeto.

    2. Dê aos membros da equipe treinamento em habilidades sociais nas relações humanas e facilite os esforços de formação de equipe mais ativos.

    3. Promova um ambiente de respeito mútuo. Nenhum método de gestão de conflitos irá funcionar sem o respeito mútuo e uma vontade de discordar e resolver as divergências.

Ele compartilha algumas das crenças de Harpham quando se trata de resolução de conflitos. Stanleigh diz: “Se o conflito irrompe em sua equipe, tente seguir os seguintes quatro passos para acalmar os ânimos: ouvir, reconhecer, responder e resolver as diferenças restantes“.

Resolver as diferenças restantes, Stanleigh sugere, envolve quebrar o problema em partes gerenciáveis (porque você está ouvido). “Isso vai ajudar você a gerar soluções alternativas e, em seguida, selecionar a alternativa em que todos podem concordar“, diz ele.

 

Autor: Keith Grifin - Escritor de negócios e editor com mais de 30 anos de experiência jornalística.

Artigo publicado originalmente no site Stakeholdernews