As 10 áreas de conhecimentos do Gerenciamento de Projetos, segundo o Guia PMBOK®

As 10 áreas de conhecimentos do Gerenciamento de Projetos, segundo o Guia PMBOK®

Se pararmos para pensar, a maioria das coisas que temos e usamos no nosso dia-a-dia já foram projeto um dia. 

E cada projeto tem suas especificidades, seu grau de desafio. Mas é inquestionável que todos exigem planejamento, coordenação de pessoas e processos e sinergia da equipe envolvida.

Para que o resultado aconteça como planejado e todos os requisitos sejam atendidos, é fundamental que o Gerente de Projetos possua habilidades, ferramentas e técnicas e aplique bem os conhecimentos sobre todas as áreas de atuação, atuando com agilidade nas soluções e evitando conflitos entre os grupos.

Tarefa complexa, né? Mas o bom da história é que existe um importante aliado, que vai ajudar (e muito!) nessa missão. Um Guia com as melhores práticas em Gestão de Projetos, que todo Gerente de Projetos conhece muito bem e que, certamente é o seu livro de mesa: o PMBOK® (Project Management Body of Knowledge), desenvolvido pelo PMI (Project Management Institute), atualmente na sua 6ª edição.


Conforme o Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos, os grupos de processos são cinco:

1. Início

2. Planejamento

3. Execução

4. Monitoramento e Controle

5. Encerramento


Além dos grupos de processos, o Guia PMBOK® define dez áreas do conhecimento em gerenciamento de projetos. Vamos a elas.


Gerenciamento da Integração

Integração de processos e pessoas. Nesta área, o Gerente de Projetos aplica a integração de processos e pessoas, definindo onde e quando concentrar recursos e esforços, antecipando os problemas e coordenando os trabalhos.

Os processos dessa área são:

1. Desenvolver o Termo de Abertura e o Plano de Gerenciamento de Projeto

2. Orientar e gerenciar sua execução

3. Monitorar e controlar todo o trabalho

4. Realizar o controle integrado de mudanças

5. Fazer o encerramento do mesmo.


Gerenciamento de Escopo

O escopo do projeto é tudo o que temos que fazer para que o projeto alcance o sucesso, como entregas, prazos, custos, requisitos e normas. Esta área envolve: coleta de requisitos; definição como será o projeto; criação da EAP (Estrutura Analítica do Projeto); verificação e controle do escopo.


Gerenciamento de Custos

Para criar e entregar o produto do projeto, realizamos atividades que consomem recursos. As definições desses recursos são a base para a administração dos custos do projeto. Sendo que a principal ferramenta para a definição dos custos do projeto é o orçamento. A conclusão do projeto dentro do orçamento é um princípio importante da administração de projetos.

No plano do projeto, deve-se definir o custo dos recursos necessários, para garantir a realização do projeto. A definição de recursos envolve três etapas:

1. Planejamento de recursos

2. Estimativa de custos

3. Elaboração do orçamento.


Gerenciamento de Qualidade

Os processos desta área determinam padrões ou normas de qualidade que devem ser seguidos durante o projeto, seja na qualidade do produto do projeto (definidos pelo cliente) ou na qualidade do gerenciamento do projeto (escopo, tempo, custos, riscos etc)


Gerenciamento de Recursos Humanos

Esta área descreve os processos que organizam e gerenciam a equipe do projeto. São determinados os tipos e o perfil de cada um dos profissionais envolvidos, além da hierarquia da equipe e as responsabilidades.


Gerenciamento das Comunicações

Os processos desta área de conhecimento determinam quem está envolvido no projeto, definem como as comunicações vão ocorrer quando o projeto iniciar e determina os tipos de informações geradas, quem é o responsável, qual o meio, quem vai recebê-las, qual a periodicidade.

O Gerente de Projetos deve dividi-la em três processos:

1. Planejamento

2. Gerenciamento

3. Controle das comunicações.


Gerenciamento de Riscos

Antecipar a ocorrência de problemas, monitorar e controlar a ocorrência de riscos durante a execução do projeto são os objetivos dessa área. 


Gerenciamento das Aquisições

Os processos desta área de conhecimento têm como premissa determinar:

1. O que se quer adquirir

2. De quem se quer adquirir

3. Selecionar o fornecedor

4. Gerenciar contratos.


Gerenciamento de Tempo

No planejamento, a definição das atividades é a base para administração dos prazos e sua principal ferramenta é o cronograma. 

Aqui tem-se a ordem de precedência das atividades, o tipo e a quantidade de recursos necessários, o tempo para concluir as atividades, além de incluir a verificação do andamento do trabalho, durante as etapas do projeto.


Gerenciamento das Partes Interessadas

Para definir com clareza todos os elementos do projeto, precisamos esclarecer as expectativas dos clientes e de outras partes interessadas (stakeholders). As partes interessadas são todas as pessoas, grupos ou organizações que participam (direta ou indiretamente) ou são afetados por ele de alguma forma.

Os processos desta área são:

1. Identificar as partes interessadas e seus interesses (stakeholders)

2. Planejar o gerenciamento das partes interessadas 

3. Desenvolver estratégias para quebrar as resistências das partes interessadas e garantir seu engajamento no projeto.


Gostou do artigo? Agora que você tem todas essas informações aplique-as nos seus projetos e comente suas experiências


Aqui na DOX seguimos as diretrizes do Guia PMBOK® na Gestão de Projetos!


Agora, se você, como nós, gosta de inovação, tecnologia e processos bem definidos, e não possui em sua organização um Escritório de Gerenciamento de Projeto (EGP) ou equipe especializada em gerenciamento de projetos e obras, que integra modelos consagrados a novas soluções ambientais, clique aqui e conheça a metodologia de trabalho campeã do Prêmio BIM SindusCon-SP 2017. 




M A I S   L I D A S


A IMPORTÂNCIA DA CONEXÃO ENTRE GESTÃO DE PESSOAS E DO NEGÓCIO

ENGAJAMENTO É O GRANDE DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES

GERENCIAMENTO DE PROJETOS E BIM

DOX ASSINA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS E OBRAS DE RETROFIT E MODERNIZAÇÃO DO SANFRA

CONSTRUÇÃO CIVIL PODE CRESCER ATÉ 7% COM BIM 

5 MOTIVOS PARA UTILIZAR O BIM NO PLANEJAMENTO DE OBRAS

iCON REALIZA DEBATE SOBRE INOVAÇÃO ABERTA CORPORATIVA

WORKSHOP BIM PARA INSTALADORAS

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

VEJA COMO A CERTIFICAÇÃO LEED FUNCIONA

PESQUISADORES DE HARVARD LISTAM 9 FATORES QUE TORNAM UM EDIFÍCIO BOM PARA A SAÚDE DOS USUÁRIOS

O FUTURO DA INOVAÇÃO NA CONSTRUÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL - PREPAREM-SE, ENGENHEIROS

DOX GANHA DESTAQUE E LEVA O PRÊMIO DE EXCELÊNCIA BIM SINDUSCON-SP 2017

7 BOAS PRÁTICAS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO

COM AS TECNOLOGIAS RV, RA e RM, SERES HUMANOS E MÁQUINAS SE UNIRÃO NA FORÇA DE TRABALHO

ANÁLISE DE TENDÊNCIAS EM MARCOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

EDIFÍCIO ALAMEDA SANTOS E SEUS DESAFIOS DE TERRENO E LOGÍSTICA

6 FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS QUE VOCÊ DEVE CONHECER

SOFT SKILLS - 8 HABILIDADES DO GP PERFEITO

DOX GANHA DESTAQUE EM MÍDIA ESPECIALIZADA EM SHOPPING CENTERS

DOX APRESENTA CASE VENCEDOR DO PRÊMIO EXCELÊNCIA BIM SINDUSCON-SP NO ROAD SHOW BIM EM PORTO ALEGRE



Fontes: brasil.pmi.org; gestaoeprodutividade.com.br; blog.ipog.edu.br.

Imagem: Reprodução/Divulgação